06 September 2006

Compromisso Todos pela Educação

Um grupo de 180 pessoas, incluindo empresários, educadores e representantes do poder público, lançam, hoje, em São Paulo, o movimento Compromisso Todos pela Educação. Nele participam o Ministério da Educação, secretários estaduais e municipais e instituições como Itaú Cultural, Instituto Pão de Açúcar, Fundação Bradesco, Instituto Ayrton Senna, Fundação Roberto Marinho e Grupo Gerdau. O objetivo é melhorar a qualidade da educação brasileira com cinco metas a serem atingidas até 2022:

1. Toda criança e jovem de 4 a 17 anos estará na escola.
2. Toda criança de 8 anos saberá ler e escrever.
3. Todo aluno aprenderá o que é apropriado para sua série.
4. Todos os alunos vão concluir o ensino fundamental e o médio.
5. O investimento na educação básica será garantido e bem gerido.

Para conscientizar a população, o Todos pela Educação vai fazer inserções na mídia do país inteiro, mostrando essas metas. Os participantes privados deverão fazer ações individuais. Bancos, por exemplo, poderão colocar material informativo em suas agências. O movimento pretende reverter indicadores como a escolaridade média de 4,9 anos no país (comparado com 8,8 na Argentina) e o número de jovens fora da escola (809 mil entre 7 e 14 anos). Para isso será necessário aumento do orçamento para a educação em todos os níveis do governo.

Obviamente esse é um programa que todos os candidatos a presidente deveriam apoiar. Todos os candidatos afirmam que a educação é importante, entretanto, apenas um deles, Cristovam Buarque, proclama que a educação é a única forma de mudar a cara do Brasil. E ele está certo. Infelizmente não vai ser eleito e mesmo que fosse a elite o impediria da fazer mudanças bruscas na educação. Porisso não tem outro jeito. Temos que ir a passos de tartaruga, apoiando movimentos como o Compromisso Todos pela Educação, e esperando que ele não morra no berço.

Dois artigos comentam o movimento na Folha. Eles estão aqui e aqui. Infelizmente, é necessário ser assinante.

UPDATE: Leia um dos os artigos mencionados no Jornal da Ciência aqui. Uma reportagem está também aqui.

UPDATE: Existe um site para o movimento.

6 comments:

Krishnamurti said...

Itaú Cultural (o segundo maior banco privado do país), Instituto Pão de Açúcar (uma das maiores, se não a maior, rede de supermercados do país), Fundação Bradesco (o segundo maior banco privado do país), Instituto Ayrton Senna (?), Fundação Roberto Marinho (o maior formador de opinião e deseducador do país) e Grupo Gerdau (mais um querendo incentivos fiscais).
Em suma, dão com uma mão tiram com tantas outras... realmente a passos de tartaruga, se não com velocidade negativa.

Victor Rivelles said...

Caro Krishna,

Como não há nenhuma revolução à vista, é preciso ir convencendo a elite aos poucos. O governo Lula (apesar de toda corrupção) tem dado passos nesse sentido. O que precisamos agora são passos mais largos...

Felipe said...

Caro Rivelles,
Confesso que nao entendi seus comentarios
"a elite nao permitiria melhorias na educacao".
Sera que voce tambem foi contagiado pela "sindrome dasilite(sic)" que acometeu o Lula?

Victor Rivelles said...

Caro Felipe,

É um fato, reconhecido por todos, que a elite economica e política dos países do terceiro mundo impedem a educação do povo. Se o povo fosse educado o suficiente para lutar por seus direitos as elites teriam que dividir a riqueza e o poder com a população. Isso também acontecia na Europa e nos EUA até o início do século XX. Foi necessário um grande esforço, muitas vezes através de revoluções, para convencer a maioria da elite a compartilhar o que possuiam. Em suma, estamos na mesma posição que a Europa e EUA há um século atrás! Atrasados como sempre. Estamos ainda tentando convencer as elites brasileiras que esse não é o caminho certo. O Lula foi o único presidente que disse isso com todas as palavras. E isso é um grande mérito dele.

Educação a Distância said...

Caro Victor,

Concordo plenamente com você sobre o mérito de um movimento como esse de empresários paulistas e outras tantas entidades que criaram o "Comprimisso Todos pela Educação". Eu acho uma iniciativa louvável, embora a gente possa criticar a demora das elites incorporarem no discurso deles a prioridade da educação para o desenvolvimento da nação. Você pode tentar interpretar esse movimento das elites como uma iniciativa que visa melhorar a qualificação do trabalhador brasileiro via educação e capacitação profissional para, em última análise, beneficiar as empresas envolvidas. Eu prefiro não pensar pequeno é imaginar que é um tomada (nunca é tarde..)de consciência de uma parcela progressista do empresariado. O fato de ter a Millu Vilela a frente do movimento é um bom indicativo da seriedade de propósitos da iniciativa. Ela é uma pessoa que tem um histórico formidável de luta pela educação, inclusive com uma ong muito ativa, a "Faça sua Parte".
Eu vou acompanhar de perto e se possivel colaborar com esse "Compromisso" e ficaria muito feliz se não apenas empresários, mas pais, ong e os todos aqules que amam esse nosso sofrido país se comprometam com a melhoria da educação no país e se juntem a eles.
A proprósito, Vitor, abri há poucos dias um Blog sobre Educação a distancia que tem muito a ver com isso. Se você quiser fazer uma visitinha e deixar uma alô eu agradeceria. Pelo jeito, temos preocupações em comum.

abraços

Célio Calmon

eadembrasilia.blogspot.com

Victor Rivelles said...

Caro Célio,

Grato pelos comentários. É bom saber que há um novo blog sobre educação. Boa sorte com ele.